Notícias PMPE

Notícia publicada em 08/06/2018 | 17:43

MUSEU DA PMPE PARTICIPA DA SEMANA NACIONAL DE ARQUIVOS

foto-noticia

COMANDANTE prestigiou evento

 

Em sua primeira experiência com o público, desde completa reestruturação física através de uma reforma arrojada ocorrida este ano, o Museu da Polícia Militar de Pernambuco participou da 2ª Semana Nacional de Arquivos, nos dias 6 e 8 de junho. O projeto, organizado pelo Arquivo Nacional e pela Fundação Casa de Rui Barbosa, incentivou a promoção de visitas mediadas em instituições ligadas à memória de todo o País.

No caso da PMPE, foi apresentado aos visitantes a trajetória da Corporação, que se confunde com a própria história do Estado. Fotos, armas, peças, documentos, fardas, de tudo há um pouco em exposição. Peças que se juntam e formam uma bela narrativa, imperdível para quem quer conhecer a essência da pernambucanidade.


Nas quatro horas em que esteve aberto, duas em cada um dos dias, o Museu da PMPE recebeu cerca de dezenas de visitantes, entre eles o comandante geral da Corporação, coronel Vanildo Maranhão, que aproveitou o evento para conhecer o resultado da reforma implantada.

Aos civis que estiveram no Quartel do Derby, foi ofertada uma oportunidade de conhecer a participação da Polícia Militar nos grandes momentos de Pernambuco, um verdadeiro mergulho em períodos históricos, como o enfrentamento ao cangaço, revoluções e até mesmo em tragédias naturais enfrentadas ao longo dos últimos 193 anos.

HISTÓRICO - O Museu da PMPE quando abrir definitivamente as cortinas, o público interessado vai poder apreciar um acervo rico da história de Pernambuco. No local, uma equipe de policiais militares historiadores estará apta para explicar e tirar dúvidas aos visitantes.

FOTO: ARQUIVO PMPE.

O espaço expõe armamentos utilizados na época das volantes no combate ao cangaço como metralhadora Bergmann Mp-18,1; armas utilizadas por Lampião e seu bando como pistola Luger, modelo Parabellum calibre 9mm, bem como a pistola Browning, modelo 1910, usada pelas mulheres do grupo de Lampião.

FOTO: ARQUIVO PMPE.

Ainda no acervo de armamento, registram-se a Maxim Nordenfelt (1893), modelo usado na guerra dos Canudos; e a carabina Spencer, essa utilizada na Guerra do Paraguai. Também exibe a pistola Browning, que em 28 de julho de 1914 um estudante atentou contra a vida do príncipe húngaro Francisco Ferdinando, herdeiro do Império austro-húngaro.

Dentro da história do cangaço, o arquivo da PMPE registra objetos apreendidos com o bando de Lampião como cintos, cartucheiras e punhais com gravura do rosto do cangaceiro.

FOTO: ARQUIVO PMPE.

Nesse mergulho profundo na história viva da PMPE, encontram-se espadas da Guarda do Império, artefatos da Segunda Guerra Mundial (capacete, granada e bússola), fardamentos utilizados pela Corporação na década de 1930, na ocasião da Força Policial de Pernambuco e uniformes de praças e oficiais dos anos de 1970 e 1980, bem como da Unidade da Cavalaria.

FOTO: ARQUIVO PMPE.

Ressalta-se ainda no rico arquivo, o livro de Ata registrando nas entrelinhas a inauguração do Quartel do Derby, datado de 15 de novembro de 1925, sobretudo mencionando o 36º aniversário da República.

 

FOTO: ARQUIVO PMPE.

Portanto, fazendo jus aos refrãos da canção criada pelo tenente João Cícero de Souza, o Museu da Polícia Militar de Pernambuco vem sacramentar e legitimar nestes 193 anos de existência da Corporação a história viva desses policiais militares que sempre estiveram em prontidão na árdua missão de garantir a segurança da população pernambucana do Sertão, do Agreste e da Mata, das Campinas ridentes em flor, pois sempre será esta força de filhos que se integra e a servem com fé e amor.

Nunca...mais nunca.... a Polícia Militar de Pernambuco vai deixar sua bravura e lealdade varonil, jamais deixará de cingir-te a fronte na guarda e na defesa do Brasil.

Fonte: FOTO: Cabo Leandro Brayner/5ª EMG-PMPE